19 de maio de 2020
Por Palmir
Como o dólar mais caro impacta nosso cotidiano? Entenda

Muita gente acha que o aumento do valor do dólar só impacta quem viaja para o exterior, mas os reflexos do avanço da moeda são inúmeros

Diariamente acompanhamos a escalada do dólar, que sofre alterações constantemente e atinge tetos recordes. Mas o que isso tem a ver com o nosso cotidiano?

Os preços praticados sobre a moeda impactam porque uma parte relevante dos produtos ou é importada ou tem alguma relação com produtos importados. Dessa forma, quando a moeda dólar está alta, a tendência é que isso gere inflação na economia brasileira.

A economista Núbia Ferreira explica que há influência, por exemplo, no preço do pão por causa do trigo e de produtos eletrônicos como celulares e computadores e até o combustível. “Esses produtos ficam mais caros e acabam sendo repassados aos consumidores. Com as incertezas do mercado, os investidores deixam de aplicar no país, o dólar sobe e nossa moeda fica cada vez mais desvalorizada”, explica.

Lilia Cristina da Costa Lima é a presidente do Sindicato da Indústria da Panificação e Confeitaria de Uberaba (Sindipan) e tem sentido na pele esse sobe e desce da moeda americana. De acordo com ela, a conta não fecha. “O dólar tem influência direta na panificação e não sabemos o que fazer, porque junta a alta da moeda, o reajuste no preço da matéria prima, a queda no fluxo de clientes e pouco poder de compra, acaba colocando o comerciante sem saber o que fazer”, pontua.

Ainda de acordo com Lilia, a situação é em igual em todo Brasil. “O hábito do cliente modificou. A padaria que antes era um local de encontro, conivência agora é destinada ao essencial, sem essa aproximação, e isso influencia também o consumo”, conclui.

Rua Paraíbuna, 179 - Vila Sobrinho

Fone/Fax: 67 3361.7333

CEP: CEP: 79.110-023

Campo Grande/MS